Nova pagina 1

Pagina Principal     Notícias     Mensagem     Humor     Fé e Religião     Galeria      Receitas     Chat     Emails Recebido     Artesanato     Cultura    

   Listas Telefônica online    Vídeo     Pagina do Zé     Fale conosco

 
Pagina Principal
Pagina Principal

Destaque

Notícias
Tabela da Copa
Chat
Fórum
Perguntas e Respostas
Sites de jornalismo
Mensagem
Emails Recebido
Artesanato
Humor
Cultura
Fé e Religião
Galeria
Vídeo
Conheça Santa Rita
Agenda
Receitas
Pagina de José Pereira
Listas Telefônica online
Lista  Telefônica, Paraná
Lista  Telefônica,  Sta Rita
Auxilio a lista telefônica
Enquête
Busca CEP
Tradutor
Pesquisa
Hora no mundo
Previsão do tempo
Cursos
Vende-se
Fale conosco
Fale com um amigo

Fale com Juari

WebMail
Admin
Link Católico
Diocese de Toledo
Dom Francisco, Bispo de Toledo
Busca Católica
Sites Pessoais
Colégio Estadual de Santa Rita D´Oeste
Jerônimo Mendes
Administradores
adecas.com.br
Sites de Noticias regionais
Visitantes Online
71
Contador de visitas
Previsão do tempo  Previsão mais dias
 

Nova pagina 1

 
ACONTECEU COMIGO

Seca, terrível

Morávamos no sertão da Bahia, lá meu pai tinha um sitio, onde plantávamos e colhíamos, nossa lavora para o sustento da família. Mais a seca sempre assolava, era assim, dava um ano chuvoso e um ano de seca. No ano chuvoso, plantávamos, colhia e fazíamos a economia, para suportar o próximo ano, que na maioria das vezes seria de seca, mais as vezes, não chovia no anos esperado, daí as coisas complicavam, porque quase ninguém conseguia fazer economia, para mais que um ano de seca, para piorar, as vezes emendava e seria três anos consecutivo de seca, é nesse contexto que entra minha história.

A agricultura era de subsistência, meu pai era professor particular, por isso ganhava um dinheirinho a mais, ensinado os filhos dos fazendeiros, mais nós sofríamos demais, a falta dele porque ele saia, para trabalhar e ficava dois, três e as vezes seis meses fora de casa, minha mãe reclamava disso, mais ele dizia tenho que buscar sustento para a família, ainda mais agora, que a seca assola e se foi novamente.

Os recursos que meu deixou havia acabado, da terra nada podia tirar, porque estava completamente seca, as águas acabaram, nas cisternas, o açude que meu irmão morreu afogado, quando pescava, já não havia uma gota de água, todos os riacho secaram, já não tinha água nem para beber, a comida que ainda havia era farinha de mandioca, mais não dava para engolir seca, dinheiro dinheiro nem falar, meu pais estava demorando de voltar, as crianças desmaiavam, de sede e de fome, minha mãe entrou em desespero e me disse, vai buscar água na fazenda de seu Limeira, ouvi dizer que lá sai um olho d água e para lá me fui.

Quando lá cheguei, via sair uma pequena quantidade de água, mais havia muitos animais do dono da fazenda, toda água que saía era dada para o gado bovino, equino e capino, fiquei ali quase três horas, mais nada de conseguir água, por isso voltei para casa sem água, para o desespero de todos, minha mãe quase teve um vertigem, quando cheguei sem água.

Enquanto minha mãe chorava, lamentava e rezava, meu pai chegou do trabalho, com alguns mantimentos, que sempre trazia quando voltava, era para se alegrar, mais minha mãe em desespero disse já estamos três dias sem beber água, as crianças já estão desmaiando, vamos morrer todos. Meu pai pegou o balde e para lá se foi, eu acompanhei, novamente até chegar na fazenda, Ele pediu um pouco de água, mais aquele senhor disse não podia, senão os animais morreria de sede, meu pai disse pelo amor de Deus, me dê dessa água, meus folhos e minha esposa já estão a três dias com sede, é caso de vida ou morte. O homem afastou os animais e deixou meu pai encher as vasilha de água, que levávamos para casa, como um troféu.

Meu pais chegou com a água, para nos beber e disse vamos para o Sul, temos de aproveitar agora que tenho alguma economia, tenho alguns conhecidos por lá, que podem nos arrumar um lugar para ficar e para fomos, eu e meu pai, ele arrumou um lugar e voltou para buscar o resto da família, eu queria voltar com ele, mais ele disse não dá! se eu te levar de novo, não dará, mais voltar, porque o dinheiro não dá.

 não divulgar o nome

 escreva para mim   Voltar
 

Publicidade

PUBLICIDADE

Odontologia Santa Rita Fone 44 3648 1193     

Escritório Santa Rita Fone..44..3648..1101